DESCOBRI QUE EU SOU EGOÍSTA

Não que eu achasse que eu não era egoísta. Mas na minha lista de defeitos, esse item estava beeem lááááá pro final. Eu sempre me achei mão aberta, desapegada e coisa e tal. Ainda me acho, mas passei um período nessa minha viagem, de escassez e esse sentimento veio à tona.

Wallace, meu companheirinho

Wallace, meu companheirinho

Não consigo explicar tanto em palavras, mas em alguns momentos, eu pude ver como eu estava olhando para o lado da escassez das coisas. De ficar sem. Logo eu que sempre olho para o lado positivo, abundante. E sempre relacionado as coisas materiais, como a comida. Outro dia eu comprei um saco de pipoca com umas 10 pipocas dentro. Dei pros 3 filhos da minha amiga, pros 3 filhos da minha vizinha, uma pra cada um. Vim comendo uma no carro. Todas as vezes que o Wallace (meu nego lindo), o filho pequeno da minha vizinha que vinha me visitar todos os dias, me pedia um outro saquinho de pipoca (sobraram uns 3), eu não queria dar pra ele se eu não pudesse ou quisesse comer também na hora. Alô minha gente, tinha 3 pacotes, eu naturalmente daria tudo pro menino, iria lá e compraria mais 2 pacotões, tudo em abundância, mas eu estava lá pensando que queria comer também aqueles pacotes, não queria ficar sem. Então ele só ia comer comigo a pipoca, quando eu quisesse comer. E esse tipo de atitude que eu tive, eu critiquei muuuuuuuuuuuuuito em várias pessoas. Tem uma amiga que eu critiquei sempre demais por ela ser assim. Sempre pensava: “pra que gente? Come, depois compra mais. Não quero agora, pode comer tudo, depois eu reponho, relaxa”…..

E não fiz nada disso. Achei mega estranho eu estar agindo daquele jeito. Por que? Que vergoinha….

Mas deixei os sentimentos virem. Não julguei. Observei. A poeira que estava em baixo da piscina subiu e agora estava aparecendo. E eu achei ótimo, porque agora eu pude olhar pra tudo isso. E ver, que tudo no outro que incomoda a gente, é porque de alguma forma nós temos alguma coisa DAQUILO dentro de nós que não queremos mexer. E a partir de momento que você traz luz para algo que estava obscentenderuro, você vai dissolvendo aquilo e os pontos vão diminuindo.

Isso tudo serviu para eu entender que quando eu me irritava com a minha amiga quando ela agia daquele jeito, era porque de alguma forma eu me identificava com aquela escassez. Mesmo que me sabotando. Não que pensava igual a ela, mas tinha algo em mim que sentia o sentimento dela em algum aspecto e eu nunca queria olhar. Era a energia da situação. A dela e a de tantas outras pessoas que eu julguei.

E eu pude estar na situação do outro. Pude ter um sentimento maior de entendimento, de COMPAIXÃO por ela, por mim e pela vida. E de RESPEITO pelas atitudes do outro. Muito respeito. É isso que é o aprendizado. E eu sou grata demais por isso. Talvez se eu não tivesse vivido essa experiência da escassez, eu não teria a oportunidade de lidar com esse meu sentimento.

E hoje esempatia2se tipo de egoísmo nas pessoas que eu via e me irritava, principalmente nas pessoas mais próximas, eu tenho enxergado com um novo olhar. É estranho explicar em palavras, mas é como se agora eu entendesse aquela postura. Cada um tem um histórico, cada um trilhou um caminho para agir de um jeito e não cabe a mim achar que está certo ou errado. Naquele momento eu estava vivendo um aprendizado. Foi uma oportunidade linda que a vida me deu. Eu acho que isso é se colocar no lugar do outro. Isso é compaixão.

Ou seja, eu pude olhar para o meu lado egoísta ( em vários aspectos), mas vi também como eu tenho EMPATIA e como a minha consciência está despertando, e que ISSO É AUTOCONHECIMENTO.

Tanto foi uma oportunidade de “aprendizado aprendida”, que eu estou muito mais alinhada com meus princípios e voltei pro meu lado abundante; estou distribuindo pacotes de pipoca com muito amor e carinho para quem quiser, sem economias e com muito respeito a quem pensa diferente de mim rsrsrs……

Essa é a famosa pipoca que eu falei. Uma delicia, viciante.

Essa é a famosa pipoca que eu falei. Uma delicia, viciante.

egoismo